05 e 06 de Junho | 2023
Bienal do Ibirapuera | SP

Licores orientais e treinamentos em realidade virtual são destaques do segundo dia de BCB São Paulo

Público pôde conferir as bebidas que devem "esquentar" os balcões, além de tecnologias imersivas para capacitação dos profissionais de bares e restaurantes.

São Paulo, 22 de junho de 2022 – Depois de uma abertura que foi uma verdadeira celebração da coquetelaria no Brasil com corredores e estandes lotados e a final do World Class Competition, o segundo dia de BCB São Paulo repetiu a dose de estratégia e conexão com o mercado, apresentando bebidas que são as próximas apostas da temporada e adicionou um bom shot de tecnologia para impulsionar a forma de contratar e treinar os profissionais do setor.

Em relação aos produtos, fora os diversos lançamentos disponíveis na área de exposição, a coquetelaria asiática foi destaque no Bar Mentoring. A novidade foi a chegada da centenária empresa Choya Umeshu ao mercado brasileiro com o Licor de Umê (ameixa japonesa), uma das principais bebidas do país asiático ao lado do saquê e do shochu. “O diferencial é que a Choya utiliza 100% do fruto do umê de melhor qualidade, vindo da região de Kishu. Cada garrafa contem 40% de fruta, sem conservantes”, disse Seiji Susuki, gerente global da marca, na apresentação “Introdução aos licores de Umê Choya”. Outro lançamento apresentado no BCB foi o Licor de Yuzu, fruta cítrica com quatro vezes mais vitamina C que o limão.

No dia anterior, a versatilidade já havia sido destaque. Na palestra “Sake em um novo patamar”, Ricardo Takahashi Paulon, gastrônomo e chefe de bar, disse: “vejo a indústria se aproximando mais dos profissionais como forma de mostrar as possibilidades de uso da bebida em coquetéis além da saquerinha. Em termos de combinação, o saquê combina muito bem com cítricos como tangerina, limão e cravo, mas também com frutados mais adocicados, como framboesa, jaboticaba e tamarindo”.

Tecnologias imersivas para bares e restaurantes

Quem passou pelo corredor “A” do BCB São Paulo e viu a figura de um astronauta interagindo com o público percebeu que a edição deste ano abriu espaço para avanços digitais que podem resolver gargalos do setor. Imagine usar um óculos especial acoplado ao celular e ter a visão de um bartender na preparação de um drink como forma de treinamento. Ou, ainda, usar uma plataforma para pagar de única vez os profissionais que trabalharam em um evento, processo que costuma ser individual via Pix. “Desde que começamos, em 2010, identificamos que não adiantava esperar qualificação, nós também éramos responsáveis por capacitar pessoas e desenvolver o mercado”, disse Miller Vieira, CEO da Lanup.

Daniel Pereira, gerente do BCB, comentou: “os profissionais vêm ao BCB em busca do conhecimento necessário para avançar em negócios e carreiras, mas, principalmente, para entendimento de como surpreender e encantar em um tempo onde a experiência vale muito. Isso pode ser traduzido de diferentes maneiras, que vão de novos produtos às ferramentas para uma prestação de serviços mais rápida, eficiente”.

Mais informações sobre o evento em: https://www.barconventsaopaulo.com.br/